tecelagem forasteira

falar de sentimentos indesejáveis, irracionais. quero falar de contradições

estamos falando do diferente, do estranho, do estrangeiro?

expressar o que me é estranho, por para fora o que me é estranho, como?

duas línguas diferentes. que não se encontram. nasce uma terceira, a tecelagem, o desenho. a linha. nasce da raiva, nasce da angustia de comunicar. nasce da angustia e da ansiedade de ser entendida. nasce do silêncio sufocante, nasce do silêncio calmante

por isso estou fora, estou na natureza. tento fazer uma ponte. que liga minha língua com a sua. que liga eu com você, que liga eu externa e você interno

a música em uma língua que eu não entendo, só sinto. o que eu sinto?

sinto uma coisa estranha, uma coisa que vem da terra

fora do espaço, externa, mas dentro de mim
sustentação da matéria interna em mim que me diferencia, e portanto que me define e me protege

o limite do tear potencializa a minha ação


o meu limite pessoal potencializa a minha expressão na vida

o limite ajuda a não derramar

--

fotografado em meados de outubro de 2020 em rosslare strand na irlanda

--