EU4.JPG

teço trama viva, desenho o que não tem forma, leio muita poesia, escrevo algumas,

jogo capoeira e estou indo morar perto da cachoeira

desconfio de quem tem os pés muito limpos

sei algumas coisas, muitas delas são processos inacabados, estudo o tempo todo, muitas coisas eu aprendi na escola, tive notas e números que me qualificaram, mas não é disso que eu estou falando…estou falando da vida e o que ela traz, vem bomba e carinho, sigo desenhando e tecendo, um mundo outro, crio mundos que não estão aqui vivos aos olhos vestidos, mas estão aqui se os olhos forem nus...e muitas coisas que só se encontram nos caminhos das palmas das mãos e nas raízes das plantas dos pés, encarando o poço fundo dos olhos de outras pessoas, observando olhos rasos ou cheios d'água

eu acredito no amor, na coragem, na pausa e nos processos do constante ciclo de morte e vida

"(...) na batata da perna, reside o segundo coração, desse modo, caminhar é alargar o pulso, uma tecnologia de vida: os falsos problemas descem da cabeça para a batata da perna e são triturados pelos pés, e por fim, só fica, nas mãos criadoras, a alegria, quer produzir e expandir alegria? crie algo cotidiano com suas próprias mãos."

[caderno de encontros particulares entre bemtevi e o exu zambarado, 1998]